Daniela-Tomaz

DANIELA TOMAZ | Flautas, Adufe e Direção Artística
Inicia os seus estudos musicais em 1990 no Conservatório Regional de Gaia como bolseira da Fundação Calouste Gulbenkian. Em 2008 prossegue com os estudos musicais no Departamento de Música Antiga da Hogeschool voor de Kunsten Utrecht (HKU), Países Baixos, sob orientação de Heiko ter Schegget em Flauta de bisel e Wilbert Hazelzet em Traverso, graduando-se em Abril de 2012 Cum Laude.De 2012 a Março 2018, desenvolve atividade de Direção Artística na Academia da Música de Lagos, e.g dirigindo de 2014 a 2018 o Ciclo de Música Antiga Sons Antigos a Sul. Como música freelancer, dirige projetos de música historicamente informada e.g. Ensemble Med, Na Rota do Peregrino e La Mar de la Música, com atuações em Portugal, Espanha, França, Itália, Países Baixos, Geórgia, México e Portugal, para além de projetos especiais, e.g. “Roots & Revolution/ Raízes e Revolução”, aposta no Património Intangivel da Humanidade de Portugal e o Mundo, tendo estreado em Tbilisi e Poti (Geórgia), no âmbito da Semana Cultural da UE, organizada pela Delegação da UE em Tbilisi, em parceria com o Centro de Língua Portuguesa/Camões, I.P., com artistas locais (2015);
Dirige e interpreta, desde 2017, (n)os Encontros de Música Medieval de Ponte de Lima, em parceria com Maurício Molina (City University of New York), com apoio da Dir. Reg. de Cult. do Norte e Circulação Nacional Fundação GDA, origem do Na Rota do Peregrino Ensemble, com atuações na Igreja Romanica de Ponte de Lima, Igreja Romanica de Cedofeita, Ciclo de Musica Sacra de Rates e Ciclo de Órgãos de Famalicão e Santo Tirso. Membro fundador d'O Corvo e a Raposa Ass. Cultural, desde 2017, com quem dirige e promove projetos culturais, e.g. "Ensemble Med - Diálogo Interculturas no Mediterrâneo Medieval", com o apoio do prog. Circulação Nacional 2018 da Direção Geral das Artes. Diretora Artística Salva a Terra Ecofestival desde 2019, a convite do Município de Idanha-a-Nova.

Mariana-Fabiao-2

MARIANA FABIÃO | canto
Natural do Porto, nasceu em 1991. Iniciou os seus estudos musicais no Conservatório de Música do Porto onde concluiu o curso de canto, sob orientação da professora Palmira Troufa, e o curso complementar de contrabaixo, com a classificação máxima, na classe do professor Jean-Marc Faucher. Prosseguiu os seus estudos na Escola Superior de Música e das Artes do Espectáculo, tendo terminado a licenciatura em canto, como aluna do professor António Salgado. Ao abrigo do programa Erasmus, estudou no Pole Supérieur de Paris Boulogne Billancourt, na classe da professora Anne Constantin, com quem prolongou os seus estudos.
Actualmente, continua o seu trabalho de aperfeiçoamento vocal sob orientação da professora Myriam de Aranjo. Foi laureada em vários concursos, entre os quais se destacam os primeiros prémios do Prémio Casa da Música/CMP 2011 e do Prémio do IV Concurso Nacional de Canto dos Conservatórios Oficiais de Música. Como representante de Portugal nas Olimpíadas da Língua Turca 2009, obteve a medalha de bronze. Versatilidade e ecletismo são característica desta Soprano. No campo da música clássica, apresenta-se regularmente enquanto solista e em formação de música de câmara, nomeadamente com o guitarrista Gonçalo Cordeiro.
Na música antiga e tradicional integra desde Julho 2018 o Ensemble Med dedicado ao património musical medieval de raiz Mediterrânica. Na música popular destacam-se Tributo a Zeca Afonso e A confissão da leoa, homenagem a Mia Couto em torno do livro homónimo, em colaboração com o Quarteto Jardim Jazz, projetos de divulgação da cultura lusófona em França apoiados pelo Instituto Camões. No âmbito da música popular, destacam-se as suas participações nas rodas de samba parisienses. Em 2020 é artista selecionada para o Apoio de Emergência Covid-19 da Fundação Calouste Gulbenkian.

Sergio-Calisto-2

SÉRGIO CALISTO | Viola d’Amore a Chiavi & Moraharpa
Sérgio Calisto, é um músico e professor natural da cidade do Porto. Licenciou-se em Ensino de Música pela Universidade de Aveiro – Ramo: Violoncelo. Depois de terminar os seus estudos de música erudita, começou a dedicar-se ao estudo dos cordofones moraharpa e nyckelharpa, integrando vários ensembles de música folk, tais como MU e Mandrágora (ambos vencedores do Prémio Carlos Paredes) e música medieval com Trovas d´Amigo. Frequentou uma residência artística na Bretanha, encomendada pelo Festival de Música de Sines, onde trabalhou ensemble folk com Jacky Mollard.
Na área da música improvisada trabalhou com Mark Dresser / Fred Frith e aprendeu Soundpainting diretamente com Walther Thompson, o criador desta linguagem de composição musical em tempo real. Participa regularmente nos Dias Internacionais da Nyckelharpa, evento realizado na Alemanha, na AKADEMIE BURG FÜRSTENECK, onde teve a oportunidade de estudar nyckelharpa com Ditte Andersson, Magnus Holmström, Emilia Amper, Marco Ambrosini, Didier François, Annette Osann, Jule Bauer e Olena Yeremenko. Em 2013 fez parte do projeto ENCORE – European Nyckelharpa Cooperation- ORchestral Experience - Uma orquestra composta por 24 tocadores de nyckelharpa de 10 países europeus.
Atualmente estuda na Scuola de Musica Popolare de Forlimpopoli, onde é finalista do curso European Nyckelharpa Training. Sérgio Calisto toca uma Viola d´amore a Chiavi especialmente desenvolvido pelo luthier Alex Pilz e uma Moraharpa construída por Leif Eriksson.

Laurent-Sauron

LAURENT SAURON | Percussão Histórica
Laurent Sauron é um músico francês licenciado em Percussão pelo Pôle Supérieur d'Enseignement Artistique (Pôle sup'93) De formação clássica, especializa-se em Percussão Histórica frequentando estágios sob a orientação de Michel Laplénie, Christophe Coin, Roger Norrington, Leonardo Garcia Alarcon e Orquestra Barroca de Jovens Francesa (OFJB).
Enquanto intérprete, colabora regularmente com Le Concert Spirituel, Les Arts Florissants, La Cappella Mediterranea, René Jacobs, entre outros. Apresenta-se com diversas formações em França e no estrangeiro, nomeadamente na Philharmonie de Paris, Opéra Comique, Opéra de Rennes, Opéra de Avignon, Opéra de Massy, Concertgebouw em Amesterdão, Bozar em Bruxelas, Philharmonie de Colónia, Japão, Coreia e Taiwan.
Em 2019 é laureado do Concurso Internacional Van Wassenaer (Festival de Música Antiga de Utrecht) enquanto membro do ensemble de música renascentista Into the Wind. No mesmo ano, lança Reinas, primeiro disco do Ensemble El Sol, ensemble dedicado à música barroca espanhola e sul americana dos séculos XVII e XVIII. Membro Ensemble Med desde Abril 2020.

JOSÉ PRATA | Assessoria & Direção Técnica
José Augusto Magalhães Macedo Prata (José Prata), nasce no Porto – Portugal (1955), onde estuda Arquitetura e Música, e exerce grande parte da sua atividade profissional. Ao longo de mais de 40 anos de carreira e para além de experiências multifacetadas (cantor e instrumentista, ator, direção de coros e orquestras, etc...), destaca-se como compositor, produtor e técnico/designer de som, responsável por inúmeras bandas sonoras para Dança, Cinema e Televisão, variadas Edições Fonográficas e mais de 150 espetáculos teatrais. Em 1983, a Associação Portuguesa de Críticos de Teatro reconhece-o como o melhor compositor do ano (na primeira vez que esta categoria foi instituída) e em 1984 atribui-lhe o prémio 25 de Abril, pelo “contributo do conjunto da sua obra para o desenvolvimento do teatro em Portugal”. Desde 1992, centra a sua vida profissional no Instituto Politécnico do Porto e na Escola Superior de Música, Artes e Espectáculo (ESMAE-IPP), onde colabora em vários cursos dos departamentos de Imagem, Música e Teatro e, em particular, cria a área científica e de conhecimento e o curso de Produção e Tecnologias da Música (1994), onde atualmente continua a sua docência.