Mauricio-Molina

Monsanto 2021

ENCONTROS / ENCUENTROS / INCONTRI MED [mediterrâneo/medieval]
Monsanto, Idanha-a-Nova 2021

3-6 NOVEMBRO 2021 [3ª edição]
residência artística, formação

PROGRAMA


6 de Novembro
(sábado)
em formato presencial

10h00-12h00: Oficina c/ Tiago Manuel Soares: Novas Abordagens ao Adufe Tradicional (técnicas rudimentares) (PT)
12h00-13h00:  “Melancolía, Fin del Mundo y Renascimento Ibérico Pensinsular”
Conversa c/ Adrián Rodriguez van der Spoel (diretor artístico Música Temprana e director musical “1515: O Rinoceronte de Dürer”) à volta do novo disco “Melancolía” (Setembro 2021)

ONLINE
1515: O RINOCERONTE DE  DÜRER
Igreja Matriz de Monsanto

ENSEMBLE MED
Adrián Rodriguez van der Spoel direção musical, canto & guitarra
Daniela Tomaz: flautas & direção Artística
Mariana Fabião: mezzo soprano
Manuel Vilas: harpa renascentista
Xurxo Varela: viola da gamba
Tiago Manuel Soares: percussão histórica

Convidado Especial:
José Alberto Gomes: eletrónica

O ENSEMBLE MED [mediterrâneo/medieval] propõe anualmente um encontro de artistas da Bacia do Mediterrâneo, que na zona raiana de Idanha-a-Nova, homenageiam o património musical de raiz Mediterrânica e/ou Medieval, de raiz escrita e oral, em particular com a tradição dos adufes / pandeiros / “framedrums”. Para Novembro de 2021, e na sequência da pandemia global, o encontro reduz o seu formato, adaptando ao espaço virtual, propondo uma residência artística, 1 aula aberta e uma palestra, em formato presencial.

Como criação, e seguindo o repto do Município de Idanha-a-Nova, local ancestral onde coexiste tradição, inovação e contemporaneidade, o Ensemble Med propõe uma residência artística de criação, propondo um novo olhar sobre a música do tempo de D. Manuel I, no ano em que se completam 500 anos sobre a sua morte (1521-2021). “1515: O Rinoceronte de Dürer” evoca a folia histórica de um tempo marcado por uma sede de conhecimento além-fronteiras, como Índia e Brasil. A viagem do rinoceronte indiano, pensado como presente para o Papa Leão X, de Lisboa para Roma, em 1515, retratado por Albrecht Durer, é uma metáfora desta folia transnacional que queremos evocar.

A residência artística de criação terá lugar de 30 Outubro a 1 de Novembro, tem direção artística de Daniela Tomaz,  direção musical de Adrián Rodriguez van der Spoel (Musica Temprana / Países Baixos) e contará com o músico José Alberto Gomes (Sonoscopia / Porto) que estreará uma nova obra. O concerto terá lugar via streaming, na Igreja de São Pedro de Vir-a-Corça, Idanha-a-Nova, dia 6 de novembro.

Para a atividade presencial, neste que será um formato reduzido dos Encontros MED, convidamos  Tiago Manuel Soares (formador da 2ª Edição 2020), que irá dar uma Aula Aberta sobre Novas Abordagens ao Adufe Tradicional, e Adrián Rodríguez van der Spoel, director musical  da estreia de “1515: O Rinoceronte de Dürer” e diretor artístico do ensemble de música antiga holandês “Música Temprana”, que fará uma conversa à volta do seu novo disco “Melancolía” (Setembro 2021).

Ficha técnica e artística:

Direção Artística e de Produção:
Ensemble Med / Daniela Tomaz

Promotor:
O Corvo e a Raposa

Em parceria com:
Município de Idanha-a-Nova
Aldeias Históricas

DIÁLOGO INTERCULTURAS NO MEDITERRÂNEO MEDIEVAL
Monsanto, Idanha-a-Nova 2018

Aldeia de Monsanto / Idanha-a-Nova

O Encontro procura ligar o património intangível de Idanha-a-Nova e Monsanto - a valorização da Tradição Oral do toque e das cantigas de adufe da região - com os seus lugares, como a Capela de Santo Pedro de Vir a Corça, que em 2021 será o lugar da residência artística de criação.

A inspiração de ENCONTROS / ENCUENTROS / INCONTRI MED Monsanto é o delicado ponto de contacto entre os universos da música antiga e a música tradicional, historicamente informadas, procurando a sua própria interpretação viva e atual da música de raiz medieval Europeia, realizada em torno da Ibéria e das regiões circundantes do Mar Mediterrâneo, numa abordagem multicultural e transversal. O projeto nasceu de “Diálogo Interculturas no Mediterrâneo Medieval”, promovido pelo Ensemble Med / O Corvo e a Raposa Associação Cultural em Novembro 2018 na Aldeia de Monsanto, Idanha-a-Nova, cofinanciado pelo Programa de Apoio às Artes da Direção Geral das Artes / Ministério da Cultura com o apoio do Município de Idanha-a-Nova. A 1ª  Edição (2019) e 2ª Edição (2020) teve o Apoio exclusivo das Aldeias Históricas de Portugal.

AULA ABERTA & CONVERSA

Tiago-Soares

TIAGO MANUEL SOARES | Introdução à Pandeireta Galega
6 novembro // 10h00

Tiago Manuel Soares nasceu no Porto em 1989. Fez o curso de interpretação pela Academia Contemporânea do Espetáculo, terminando em 2007. Iniciou a sua formação, como músico, em 2003, num curso de percussão tradicional galega com Maria Xosé Lopez Vilar e em 2019 finalizou a licenciatura em percussão clássica, na Universidade do Minho, com Nuno Aroso. Realizou diversas masterclasses com grandes nomes do panorama internacional tais como Trilok Gurtu, Yshai Afterman, Pandit Kishore Banerjee, Filippo Latanzi, Mark Braafhart entre muitos outros.

A sua principal motivação musical reside nos ritmos e nos instrumentos portugueses.
Fascinado por essa riqueza patrimonial, dá igual importância tanto ao vasto legado que nos foi deixado assim como à construção de novas abordagens, onde o estudo na vertente erudita e o conhecimento de diferentes culturas do mundo ajudou-o a abrir novos horizontes e possibilidades. Resultado dessa simbiose entre os diferentes universos, estreou, em recital, quatro peças (dos compositores Fernando Lapa e  ngela da Ponte), interpretando obras escritas propositadamente para si e fortemente inspiradas no cancioneiro português; umas dessas obras, "Ensaio sobre Cantos IV", de  ngela da Ponte, foi uma das duas primeiras peças para adufe e electrónica a serem criadas e editadas.

Como formador, leciona na escola Limina (centro de investigação de percussão contemporânea, com a direção do percussionista Nuno Aroso) e na escola Cardo-Amarelo (escola de música tradicional).
No presente ano encontra-se a fazer investigação para um livro, que irá ser editado com o apoio da DGARTES, sobre a cultura musical dos Zés Pereiras entre Douro e Minho.
Até ao momento conta com 18 álbuns editados e destaca a sua participação nos grupos/artistas Gisela João, Mário Lúcio, Viola Popular, Manuel Maio, Ensemble Portingaloise, Maria Monda, Retimbrar, Cardo Roxo, Pé na Terra, Toque de Caixa, Gambuzinos, Senza, Orquestra da Universidade do Minho e Orquestra Sem Fronteiras.

Já atuou em diversos países um pouco por toda a Europa (Portugal, Alemanha, França, Croácia, Eslovénia, Itália, Sérvia, Espanha, Polónia, Bélgica), África (África do Sul, Ilhas Reunião, Namíbia, Zimbabué, Marrocos, Cabo-Verde), Ásia (China, Índia) e Oceania (Timor-Leste).

Para mais informação,
www.tiagomanuelsoares.com

ADRIAN_RODRIGUEZ

ADRIÁN RODRÍGUEZ VAN DER SPOEL | “Melancolya y Fin de Mundo en el Renascimiento Ibérico Peninsular” (ES)
6 novembro / 12h00

A propósito do lançamento (Setembro 2020), do último CD do Ensemble Musica Temprana, o Diretor Artístico Adrian Rodríguez van Der Spoel transporta-nos para a Península Ibérica tardo-medieval e ao conflito entre melancolia e fim-de-mundo, presentes na música deste tempo.

“We are shaped by stories, by narratives that are passed down from generation to generation. Some of them have served us to try to exorcise our own fears, such as the fear of death, inherent to human beings. To make sense of and explain this phenomenon, mankind has developed myths and beliefs about the afterlife and the end of time. (…)
During historical periods in which the status quo was threatened, for example by war, epidemics or some kind of disorder, it was even more common to give vent to these fears. The late Middle Ages is such a period. It is marked by great events that changed the spirit of the age, such as the invention of the printing press, the fall of Constantinople to the Ottomans, the conquest of the kingdom of Granada and, of course, the arrival of Christopher Columbus in America, which would change our understanding of the world forever. In the Iberian Peninsula, this historical moment coincides with the reign of Isabella of Castile and Ferdinand of Aragon who, by uniting their crowns in 1475, realised the unification of Spain. The Cancioneros Musicales de Palacio and de la Colombina are the most important sources to retrieve the secular repertoire of this period. (…)
Christian Europe feared a hypothetical end of the world in the year 1500, motivated in part by the manifest decline of the Roman Church and the threat of an Ottoman invasion. It was perhaps Albrecht Dürer who most powerfully captured the fears and uncertainties that afflicted society at the time. In 1498, the German painter had completed his series of woodcuts called Apocalypsis cum figuris. The collection depicts the terrifying images of the Last Judgement. Later, Dürer himself created another engraving in which he depicts a scene of desolation: an angel gazes listlessly into the void, amidst objects full of symbols and unknowns. On the unfurled wings of a bat is the inscription: “Melencolia § I”.(…)”.



ADRIÁN RODRÍGUEZ VAN DER SPOEL

El polifacético músico argentino-holandés Adrián Rodríguez Van der Spoel, nació en Rosario, Argentina.Estudió dirección coral y composición en Amsterdam. Gracias a su gran versatilidad musical, se destaca como director musical, cantante, guitarrista, percusionista, compositor e investigador. Su interés principal se ha encaminado al estudio e interpretación del repertorio hispanoamericano virreinal. Su investigación sobre la múscia del Códice Trujillo del Perú en el siglo XVIII, compilado por el obispo Martínez Compañón, se materializó en el libro Bailes, Tonadas & Cachuas. También se ha especializado en polifonía renacentista y en la notación musical de ese período.

Fundó el ensamble Música Temprana, con el que se ha presentado en importantes festivales y salas de todo el mundo: Nueva York, Chicago, Buenos Aires, París, Amsterdam, y en los importantes festivales de música antigua de Utrecht, Estocolmo, Amberes y Praga. El trabajo junto a este ensamble, lo ha ubicado como uno de los intérpretes más destacado a nivel mundial del repertorio virreinal hispanoamericano, y sus discos han sido elogiados por la crítica especializada.
Es docente de Polifonía en el Conservatorio Real de La Haya. Regularmente es profesor invitado de diversos Conservatorios como los de Amsterdam, Utrecht, Tilburgo, Leipzig, y Buenos Aires.  También da clases de dirección coral en el Kurt Thomas Cursus en los Países Bajos. Fue director invitado de los ensambles japoneses Anthonello y Contraponto, del Conjunto  Pro Música de Rosario en Argentina y Cappella Amsterdam en los Países Bajos.

Dirigió la apertura del festival de Utrecht en 2005 con el famoso motete a 40 voces de Thomas Tallis “Spem in alium”. Colaboró con diversos ensambles de música antigua, como La Sfera Armoniosa, Holland Baroque y L’Arpeggiata. Dirigió las puestas de las óperas Dido & Aeneas y The Fairy Queen,  de Purcell; Gl’Amori d’Apollo et di Daphne, de Cavalli; La liberazione di Ruggero, de Francesca Caccini; y las escenificacion de las Ensaladas de Mateo Flecha y la comedia de madrigales Il Festino de Banchieri.